As mentiras que você engoliu em 2012 – retrospectiva

Todo mundo mente

Todo mundo mente

Narrar fatos e feitos é uma grande calhordice. Qualquer acéfalo consegue realizar tal tarefa. Basta assistir ao telejornal diariamente, buscar informação em mais de um veículo da imprensa e procurar se manter atualizado sobre o que acontece no Brasil e – BANG! – você está apto a fazer uma retrospectiva.

Mas como sei que vocês usam o tempo livre apenas para jogar vídeo game, ir a shows, ficar compartilhando asneiras nas redes sociais e se masturbando no Xvideos, aqui vai o que de mais importante (não) aconteceu, mas você acreditou:

O Facebook iria usar suas postagens e informações pessoais como bem entender
Sejamos sinceros: o que há de tão interessante na sua vida que possa render frutos a Mark Zuckerberg e sua equipe? De verdade. Essas fotos de você e seus amigos no barzinho, na balada, naquele fim de semana na praia. A foto do cachorro desaparecido que você compartilhou, da criança com um tumor no cérebro, suas ideias vazias sobre o aborto. Isso renderia o quê, além de boas risadas? Por outro lado, criem consciência, de uma vez por todas: se está na internet, não é só seu. E se está na internet, não é tão importante assim.

Que o julgamento do Mensalão era o início de uma nova era de justiça e consciência
Um bocado de acusados, um punhado de indiciados, uns tantos punidos, ninguém preso. Ok, ainda há tempo para que se cumpram as determinações do STF, mas vocês, realmente, conseguiram acreditar que aquilo tudo iria criar uma onda em prol da pureza política brasileira. O problema é que o buraco é mais embaixo, no privado, e não no público. Dinheiro que se lava, tem fonte. Fontes têm interesses. Interesses geram mercados. Logo, apenas com o fim de toda e qualquer empresa privada, o financiamento à corrupção teria fim. Como o anarquismo termina na chegada do primeiro boleto de cobrança, isso é inócuo.

Que o PT, Lula, Zé Dirceu e Genoíno são o câncer desse país
Imaginem um genocídio. Agora, visualizem a cena de milhares de corpos esquartejados, pisoteados, carregados de balas. Ao fundo, meia dúzia de pessoas de pé, terno e grava, mãos sujas de sangue e pólvora. São eles. Culpados, inocentes, meros fantoches ou personagens de um jogo político? Acredite, nunca vamos saber. O que conseguimos determinar, finalmente, é que a tendência da mídia e opinião média do brasileiro é que, em caso de dúvidas, a vantagem é do acusador. Todos têm envolvimento. Todos sabem, mesmo que nem todos tenham visto ou participado. Mas sabem. A cura do câncer ainda não foi descoberta, mas o tumor pode ser removido – nesse caso, mesmo após a metástase. Ainda existem cachoeiras de muitos malefícios que alagam os corredores da nação, além de outros animais presentes no jogo do bicho que precisam ser caçados e cassados, mesmo que contando com a anuência de um período favorável. E essa cachoeira, cercada de tucanos ao pôr do sol, ainda fará com que muita água passe por debaixo da ponte.

Corinthians? Nunca serão!
Salvo clubismo, é evidente que brasileiro não entende patavinas de futebol. Ele entende da farra, da cerveja antes/durante/depois do jogo e dos xingamentos à arbitragem. De resto, é senso comum, nada mais. E isso, também, no meio da imprensa esportiva. Um clube que por 80 anos detinha, apenas, alguns títulos regionais de média relevância, em 22 anos conquistou o país, a América e o mundo. Amado, odiado, contestado e investigado, o Corinthians conseguiu atingir todos seus maiores objetivos na base de muita desconfiança, avareza, investimentos obscuros e práticas louváveis. A partr de 2012, foi determinado, por exemplo, que 4 de julho é “Dia de São Nunca”, e que 16 de dezembro é o dia da “Revolução Japonesa”.

Que você é uma pessoa de ideias admiráveis, humanísticas e de cultura acima da média
Alguma vez, ao longo de sua vida, você realmente acreditou no que estava fazendo? Sim, a pergunta é essa, e assim mesmo. Veja bem, não é que você não possua um bom coração. De forma alguma estou querendo afirmar que seja hipócrita, também. Muito menos que desconheça quase que totalmente o que significa uma nova hidrelétrica, o que é necessário para uma desapropriação de terra, os ideais de paz entre os povos do Oriente Médio ou como funcione o sistema de cotas. Porém, você reivindicou por isso tudo, durante… dias. Acreditou nos abaixos-assinados que lhe indicaram, mesmo que tenham sido criados por pessoas com tão pouco conhecimento dos assuntos quanto você. “Dorsal Atlântica no Rock in Rio”, “O real tamanho das torcidas de futebol no Brasil”, “Pela emancipação da região Sudeste do Brasil”… veja bem, são tantas asneiras reunidas em apenas 365 dias, que poderia passar mais um ano inteiro as listando aqui. “Ah, mas como não se indignar com algumas coisas que acontecem no nosso país? Iam assassinar índios, fazer obras inúteis, votar projetos absurdos, propor emendas imorais!”. Meu amigo idiota… você acredita até mesmo que Clarice Lispector e José Saramago tenham dito e escrito aquela quantidade descomunal de ideias e pensamentos, para que fossem difundidos, décadas depois, pela internet. Apenas continue nos divertindo com sua prevaricação à inteligência. Você realmente é uma importante gota de água no oceano, o revolucionário grão de areia em meio ao deserto.

O brasileiro tem o gosto musical alinhado à sua educação
Se não teve educação, é funkeiro. Se é superficial ou influenciável, é sertanejo. Se gosta de ler e assistir filmes B, é indie. Se foi criado por uma família autoritária e repressora, vira rockeiro. Se o crime faz parte de sua vida, escuta rap. MPB, samba de raíz, música clássica, pagode, eletrônica. É tudo música. Não deve ter um peso maior em sua vida e suas ideias do que tem na cabeça de quem as criou. Tchê-Tchêrerê-Tchê-Tchê, Se te pego, Como é bom ser vida loka (sic). Nada disso é pior do que as músicas que você, muito provavelmente, gosta, escuta e sequer entende. Música em inglês, por exemplo. As frases ditas pelos rappers norte-americanos são bem mais lascivas e nocivas a ouvidos puros do que aquelas cantadas por Mano Brown e outros MCs. Michel Teló dá de goleada em suas cantoras pop mais cultuadas. Thiaguinho, o pagodeiro, consegue ser muito mais poético do que Madonna. Portanto, se sua cadeia alimentar musical tem início nos Estados Unidos ou Europa, favor trocar seu Aurélio por um Michaelis. Duvido que já tenha usado qualquer um deles para saber sobre o que você mesmo tenta cantarolar.

Que as novelas da Rede Globo – e a emissora em si – fazem parte de um plano maior
Sim, isso é verdade. As telenovelas brasileiras só fazem o sucesso que fazem, conquistam as médias de audiência que conquistam e possuem 80% dos direitos autorais sobre tudo o que você conversa/critica/debate/julga ao longo de 10 meses, graças a um plano maior de dominação e lavagem cerebral da população. Por sinal, a Globo e suas novelas conseguem fazer isso tudo, inclusive, com você mesmo: o de fazer com que você insista que é diferente de todo o resto. Todos aqueles que assistem novela, que comentam novela, que ficam emocionados com um folhetim de roteiro invariavelmente sem variação. Você não faz parte dessa malévola tática para camuflar problemas maiores e criar novos preconceitos – além de abastecer tantos outros. Você sim rema contra a maré. Luta pelo que é certo. Busca, incansavelmente, abrir os olhos daqueles que o cercam, acreditando que, um dia, tudo irá mudar para melhor. Verdades inconvenientes, mentiras prazerosas. Você é nazista e não sabia.

Tinha mais coisa a ser lembrada aqui, mas, subitamente, meu cérebro travou.
Deve ser culpa de vocês.
Até ano que vem!

Tags: , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: